Casa das Armas Brancas

Foto acima: f/3.5, 1/500 s, ISO 64
 
Casa das Armas Brancas na Real Fábrica de Ferro de São João de Ipanema (Iperó - SP).


Foto acima: f/5.6, 1/40 s, ISO 100


Foto acima: f/8, 1/320 s, ISO 100

João-de-barro na Porta da Casa


Foto acima: f/5.9, 1/400 s, ISO 400

João-de-barro (Furnarius rufus) na porta da casa. Ou seria Joana?

Represa Perto de Terezópolis de Goiás - Fotografia Infravermelha

 
Represa perto de Terezópolis de Goiás - GO (sim, é com "z", mesmo). Fotografia infravermelha a 720 nanômetros. Composição de três imagens.

Cervo Nobre

Foto acima: 300 mm, f/8, 1/125 s, ISO 400
 
Cervo nobre (Cervus elaphus). O que terá acontecido às galhadas?!!!

Suaçuboia

Foto acima: 300 mm, f/7.1, 1/200 s, ISO 400
 
Suaçuboia (Corallus hortulanus).


Foto acima: 300 mm, f/7.1, 1/320 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/7.1, 1/320 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/7.1, 1/400 s, ISO 400

Paisagem Rural ao Anoitecer - Fotografia Infravermelha

Foto acima: 55 mm, f/8, 1/100 s, ISO 400
 
Paisagem rural ao anoitecer, interior do Estado de Goiás. Fotografia infravermelha (*) a 720 nm.
 
(*) Câmera convertida para fotografia infravermelha pela Itamarati - Assistência Técnica, fone (061) 3244-2561 - Brasília, DF.

 

Hibisco Laranja

Foto acima: 55 mm, f/5.6, 1/60 s, ISO 100
 
Hibisco laranja fotografado em close-up.


Foto acima: 55 mm, f/5.6, 1/60 s, ISO 100

Panorâmicas do Lago Paranoá

 
Fotografias panorâmicas digitais são obtidas a partir de várias imagens agrupadas com o uso de software apropriado. É o que acontece com estas duas, retratando o Lago Paranoá em Brasília - DF.
 
 

Jabutis Muito Ocupados

Melhor deixá-los em paz...


Foto acima: f/5, 1/125 s, ISO 160


Foto acima: f/5, 1/80 s, ISO 80
 

Eles Já Voaram

Para eles, deixar a terra e ir às alturas nunca foi um grande problema (pelo menos, é o que se espera) - motores aeronáuticos de diferentes modelos.


Foto acima: f/4.5, 1/50 s, ISO 400


Foto acima: f/4, 1/30 s, ISO 400


Foto acima: f/4, 1/20 s, ISO 400


Foto acima: f/4, 1/80 s, ISO 400

Cabeça-seca

 
Foto acima: 300 mm, f/5.6, 1/500 s, ISO 400

Ele até lembra o tuiuiú, mas e menor e menos colorido. Trata-se do cabeça-seca (Mycteria americana). Vê-se, pelas fotos, que o nome é plenamente justificado.


Foto acima: 300 mm, f/11, 1/400 s, ISO 400

Manhã de Domingo em Brasília

 
Foto acima: f/7.7, 1/400 s, ISO 100

Brasília - DF, em um domingo, pela manhã. É o que explica a ausência de trânsito caótico...

Olhar de Suçuarana

Suçuarana ou onça-parda (Puma concolor) com olhar feroz.
 
Foto acima: f/5.1, 1/125 s, ISO 400
 
A fera parece querer me intimidar. Provavelmente, acha que sou uma "invasora".
Eu, afinal, agradeço: o olharzinho feroz tornou a foto mais interessante.

Altos-fornos Geminados da Fábrica de Ferro de São João de Ipanema

Os altos-fornos da Fábrica de Ferro de São João de Ipanema datam do chamado Período Joanino, ou seja, da época em que a Família Real Portuguesa residiu no Brasil. Foram parte de uma série de tentativas cujo objetivo era tornar autônomo o país, em se tratando de fabricação de artefatos de ferro, tanto para propósitos civis quanto para fins militares.
As duas primeiras fotos mostram o aspecto externo dos fornos; já a terceira mostra o interior de um deles.


Foto acima: f/8, 1/200 s, ISO 100


Foto acima: f/4, 1/800 s, ISO 100


Foto acima: f/8, 1/13 s, ISO 100

Campo de Girassóis

Foto acima: 55 mm, f/5.6, 1/1600 s, ISO 400
 
Campo de girassóis, fotografado em final de tarde.


Foto acima: 55 mm, f/5.6, 1/1600 s, ISO 400


Foto acima: 55 mm, f/5.6, 1/1600 s, ISO 400


Foto acima: 55 mm, f/8, 1/1000 s, ISO 400

Banho de Elefante

Um banho de elefante "no capricho": banho de lama, evidentemente. Como se verá, para um elefante o banho é coisa muito séria.
 
1ª Etapa - Todo o cuidado é pouco ao apanhar e lançar a lama...
 
Foto acima: 220 mm, f/5.6, 1/1600 s, ISO 1000
 
2ª Etapa - Não se pode eliminar a diversão. Afinal, ela é parte do processo.
 
 Foto acima: 220 mm, f/5.6, 1/1600 s, ISO 1000
 
3 ª Etapa - Agora, uma inspeção cuidadosa...
 
 
Foto acima: 300 mm, f/5.6, 1/800 s, ISO 1000

4ª Etapa - Finalmente, uma sacudida geral para eliminar o excesso de hidratante.


Foto acima: 300 mm, f/5.6, 1/1250 s, ISO 1000 

Pedra em Fotografia Infravermelha

 
Foto acima: 75 mm, f/8, 1/200 s, ISO 100

Apenas uma pedra (que ninguém se atreveria chutar...). Fotografia infravermelha (*), 720 nm.
 
(*) Câmera convertida para fotografia infravermelha pela Itamarati - Assistência Técnica, fone (061) 3244-2561 - Brasília, DF.

Uma Coisa Que Voa

"Tem um bicho estranho aqui!", alguém chama.
Bicho estranho? Será um T-Rex?
Desço, já com uma câmera na mão, imaginando a chance de uma boa foto.
Eis que o "bicho estranho" é uma criaturinha de não mais que dois centímetros de comprimento, com quatro asinhas diáfanas...
 
Foto acima: 60 mm, f/32, 1/60 s, ISO 400
 
Não faço a menor ideia do nome deste inseto. Se algum visitante do blog souber e quiser informar, ficarei agradecida.

Vendedor de Cestos

 
Vendedor de cestos, percorrendo rua de uma cidade no interior do Estado de Goiás.

Corujas-buraqueiras

Foto acima: f/6.6, 1/250 s, ISO 400

A coruja-buraqueira (Athene cunicularia) é muito comum no Brasil. Podemos encontrá-la facilmente a defender os filhotes, que são criados em um buraco na terra (daí o nome popular da espécie).


Foto acima: f/6.6, 1/320 s, ISO 400

A dupla da fotografia acima deve ter feito um acordo: enquanto uma dorme, a outra permanece vigilante...


Foto acima: f/6.6, 1/500 s, ISO 400

As corujas-buraqueiras defendem seus filhotes com toda a energia (como costuma acontecer com quase todos os seres vivos - quase todos, eu disse). Portanto, quer os defendam junto ao ninho, quer os observem do alto de uma árvore, quase sempre as vemos com esses enormes e belos olhos arregalados.


Foto acima: f/6.6, 1/500 s, ISO 360

Cuidado! Se for observar ou fotografar corujas-buraqueiras, lembre-se de que elas podem tentar um ataque se você chegar perto demais dos filhotes. Tenha cautela, aproxime-se devagar, sem fazer barulho, e lembre-se: a sua segurança e o respeito pelos seres vivos que fotografa devem vir em primeiro lugar.
Por outro lado, se você conseguir ganhar um pouquinho da confiança delas, mantendo-se a uma distância segura, poderá obter boas fotos, já que as corujas, quando estão tranquilas, costumam ficar paradinhas, quase sem nenhum movimento, durante longo tempo.

Máquina Pesada em Serviço

 
Foto acima: 70 mm, f/4, 1/100 s, ISO 200

Vendo esta máquina a trabalhar, fiquei pensando como seria se a mesma tarefa devesse ser realizada com a força dos músculos humanos ou, quem sabe, apenas com a ajuda de animais de carga. Convenhamos: ao menos nesse aspecto, até que a humanidade progrediu bastante.

Pequeno Mundo Verde à Beira de Uma Lagoa

 
Foto acima: 55 mm, f/8, 1/30 s, ISO 640

Uma lagoa pode parecer silenciosa, mas está sempre repleta de vida. Ao redor da que aparece nas fotografias desta postagem, cresce soberba vegetação tropical.
Paraíso?
Nem tanto. Só pra variar, os mosquitos quase me fizeram enlouquecer.


Foto acima: 65 mm, f/5.6, 1/60 s, ISO 800

Nômade Perfeito

Foto acima: 260 mm, f/9, 1/250 s, ISO 800
 
Um jabuti é o que se pode chamar de nômade perfeito: leva a "casa" às costas.
Viaja, é verdade, a passo de jabuti... Mas sempre vai aonde quer, e nunca está distante do lar.


Foto acima: 300 mm, f/9, 1/250 s, ISO 800 

Ano Novo em Brasília

Início de 2015 em Brasília - DF.


Foto acima: 195 mm, f/13, 1/2 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/13, 1/2 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/8, 1 s, ISO 200