Olhar Canino


Foto acima: f/4.5, 1/400 s, ISO 80

Que pensamentos passarão pela cabeça desse cãozinho, hein?

Elefantes Sincronizados

 
Foto acima: 300 mm, f/5.6, 1/640 s, ISO 200
 
Estes dois espécimes parecem ter feito um acordo para pegar o alimento e, com auxílio da tromba, levá-lo à boca, sin-cro-ni-za-da-men-te.

Neblina na Floresta

Quando é outono no Estado de São Paulo, pode haver neblina bastante espessa pela manhã. Paira silêncio nas áreas verdes - talvez até mesmo as aves tenham uma certa preguiça.
 
Foto acima: 70 mm, f/7.1, 1/125 s, ISO 400

Mais tarde, à medida que o sol aparece, a bruma se desfaz, os pássaros voltam a cantar e o aroma intenso da floresta logo se faz sentir em toda a sua força.


Foto acima: 70 mm, f/7.1, 1/60 s, ISO 400 

Iguanas


Foto acima: 300 mm, f/5.6, 1/400 s, ISO 400

Iguanas são seres vivos adoráveis. Pelo menos, é o que eu penso.
 

Foto acima: 140 mm, f/4.8, 1/800, ISO 400
 
Tranquilamente tomam seu banho de sol, por horas a fio, e quase não aparentam ter preocupações.
 
Foto acima: 280 mm, f/5.6, 1/250 s, ISO 200

O que mais me encanta nesses bichos, porém, é que, para além de sua classificação como répteis, parecem ter algumas características, digamos, um tanto humanas. Talvez precisem apenas dar um trato nas unhas.

Salto do Rio Piracicaba, no Estado de São Paulo - Fotografia Infravermelha


Foto acima: 35 mm, f/8, 30 s, ISO 100

Este é o salto do Rio Piracicaba, na cidade de mesmo nome, localizada no Estado de São Paulo. Neste caso, trata-se de uma fotografia infravermelha.

Paraíso... dos Mosquitos

Foto acima: 28 mm, f/8, 1/100 s, ISO 100
 
A paisagem pode parecer bucólica, quase romântica, pela época do início da primavera - um cenário para algum conto de fadas. Seria mesmo, não fosse aquilo que os visitantes deste blog não podem ver: uma multidão de mosquitos hematófagos, ávidos por picar os humanos que se aproximam. Nada neste mundo é perfeito, não é mesmo?

Moinhos de Vento


Moinhos de vento na cidade de Holambra, Estado de São Paulo. Espero que não venha a aparecer algum Dom Quixote com seu valente Rocinante!

Foto acima: f/4.5, 1/125 s, ISO 64


Salto do Rio Corumbá, no Estado de Goiás, Brasil

Foto acima: f/7.2, 1/400 s, ISO 100
 
As dimensões do salto podem ser facilmente constatadas se considerarmos o tamanho dos humanos que aparecem nesta imagem.
 
Foto acima: f/8.1, 1/320 s, ISO 100
 
Este outro ponto localiza-se algumas centenas de metros abaixo do salto principal.
Em fins do Século XVII e começos do XVIII, bandos de aventureiros (hoje chamados bandeirantes), percorriam, em busca de jazidas auríferas, o interior dos atuais Estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, acreditando que chegariam à lendária "Serra dos Martírios", que teria sido avistada em meio a uma tempestade.
Entenda-se: a tal "Serra dos Martírios" seria um local em que os símbolos da Paixão de Cristo - os pregos, a coroa de espinhos, a cruz, tudo em ouro puríssimo - estariam esperando a chegada dos esfomeados por riquezas.
Vê-se que em um terreno como esse não era impossível que mentes cheias de imaginação enxergassem, durante uma das tormentas tão comuns no cerrado, aquilo que mais almejavam encontrar.